Sobre Carros Compartilhados

Autolib-Carro-Compartilhado

 

Essa é daquelas ideias que estão se tornando indispensáveis do jeito que as coisas vão no mundo. Não é um post fatalista para falar do quão capitalista somos e o quanto falta sermos comprometidos e engajados em frentes que minimizem os impactos do consumo. Em vez disso, vou falar de mais uma solução inteligente e que tem ganhado espaço neste mesmo mundo, que por muito tempo não se preocupou com o essencial. Graças a estas pessoas, ele (o mundo) e nós, estamos mudando.

Já falei aqui sobre economia criativa e consumo consciente, e também sobre algumas tecnologias e atitudes que deixam pouco resíduos e impactos para trás. Couchsurfing, Blablacar, Uber, Airbnb, Skoob e até o hitchhiking, são só alguns destes elementos que têm inovado no sentido de ajudar a solucionar uma série destes problemas.

 

Autolib-Carro-Compartilhado

 

Podemos dizer que agora temos mais um serviço como aliado: carros elétricos. Você deve estar pensando “Ah, eu sei que existem e todo mundo sabe que são produtos extremamente caros se comparados com carros movidos a combustíveis fósseis”. Na verdade, estamos falando de carros compartilhados. Sim! Carros elétricos que podem ser alugados com um cadastro relativamente simples e deixados em outros pontos da cidade.

Na França o serviço já está bastante desenvolvido. Para utilizar o Autolib basta alguns documentos como a Carteira de Motorista, Passaporte é um Cartão de Crédito. Aqui no Brasil já existem projetos pilotos em algumas cidades e logo devem começar a funcionar.

 

Autolib-Carro-Compartilhado

 

Vamos imaginar que você está com amigos e quer fazer várias coisas em vários lugares. Ou tem que fazer aquelas jornadas burocráticas de levar documentos ali e aqui, e ter que esperar ou retornar nestes lugares mais de uma vez. Chamar uber ou outro aplicativo deste tipo pode acabar se tornando caro, demorado e até mesmo inviável.

Não estamos falando só da mobilidade que é um problemão em grandes e até médias cidades, mas de poluição, de exploração de trabalhadores, de saúde e todo um sistema alimentado por coisas ruins que acabam produzindo resultados ruins, como um todo.

Beijos e qualquer coisa, conte comigo!

Gi Salvatti.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *