Viagem para o Pará: Alter do Chão

Alter do Chão - Barraca de comida na Ilha do Amor

 

A minha ideia inicial era passar 3 dias em Alter do Chão e depois partir para o próximo destino. Quando me dei conta, uma semana já havia se passado nesta vila encantada. Parece até que o tempo por lá anda mais rápido que o normal. O título de praia de água doce mais bonita do mundo dada pelo jornal britânico The Guardian, chega a ser modesto pra tamanha beleza, até porque além de tudo ela (Alter) é muito mais bonita por dentro.

O tamanho do distrito é perfeito para que o lugar tenha opções para todos os gostos e se você gostar de conversar e conhecer gente (assim como eu :P) no final da primeira semana vai ter conhecido grande parte dos moradores dali. A hospitalidade é aquela, paraense, com um toque interiorano e sempre aberta para quem vem de fora.

Alter do Chão - Ilha

Ilha em Alter do Chão

 

Alter do Chão também é conhecida como o Caribe Amazônico, mas para que as cores do mar caribenho sejam vistas eu recomendo que faça algum passeio: o que eu fiz foi de ir até a Comunidade Indígena dos Arapiuns. A cultura indígena tem forte presença na cultura local. Estar ali foi uma experiência em que pude imergir e entender melhor a cultura dos povos indígenas.

Alter do Chão - Comunidade Indígena Arapiuns

Artesanato na Comunidade Indígena dos Arapiuns

 

Onde ficar?

Como falei no último post, eu optei por ficar em uma comunidade alternativa para imergir o máximo possível na cultura indígena, mas foi conhecer essas duas pousadas e tenho certeza que são as melhores opções.

Maloca Viva: uma hospedaria um pouco alternativa. Eles ficam no meio da floresta (um pouco afastado da vila de Alter do Chão). Em contrapartida eles têm acesso a um igarapé que só quem está ali tem acesso. E o jardim é imenso, ali você vai ter maior contato com a natureza do que se ficar no centrinho. Ahh! Acho que poderia definir melhor como um hostel, já que todos podem usar a cozinha e o astral é ótimo.

Vila Arumã: o lugar é um charme, ali você tem a opção de ficar hospedado em lugares que parecem casas. É ótimo pra quem prefere não ter que ir a restaurantes em todas as refeições.

Onde comer?

Estes dois restaurantes aqui abaixo me surpreenderam, cada um do seu jeito e logo se tornaram os meus preferidos de Alter do Chão.

Restaurante Siriá: é o único lugar das redondezas com comida exclusivamente vegetariana e vegana. A Dona Betânia é uma cozinheira de mão cheia e sempre está ali no restaurante. Além disso, o restaurante é super coloridinho e tem uma loja de artesanatos. Essa mulher é caprichosa!

Alter do Chão - Restaurante Siriá

 

Quem acompanha meus stories no Instagram deve ter visto a foto dessas delícias saudáveis que parecem ter sido feitas pela vovó.

Bora Bar: a produção do pão começa logo cedo. É o único restaurante de lá que produz seu próprio pão. A minha escolha foi o hamburguer “mãe natureza”. O prato vem acompanhado de uma saladinha e umas batatinhas de tirar o fôlego. Recomendo!

Bar da Dona Glória: tem um bolo de chocolate divino! Todos os dias eu passava ali e comia uma fatiazinha.

Alter do Chão - Bar da Dona Glória

 

Onde curtir e dançar?

Às sextas feiras acontece o “Canto do Chorinho” no Bar da Dona Glória. A atmosfera é muito bacana e o clima é super animado. O bar fica perto da Praça Central, bem fácil de encontrar!

Alter do Chão - Bar da Dona Glória (Canto do Chorinho)

 

Sábado tem carimbó no Espaço Alter. O lugar começa a ficar mais animado (e cheio) a partir das 23h. Lá tem gastronomia, shows, exposições de arte e outros elementos da cultura amazônica e paraense.

Como se locomover?

Mototáxi: é o melhor jeito de transitar por Alter do Chão. Lá conheci o Rildo, um mototaxista muito eficiente e gente boa. O telefone dele é (93) 991318777.

Onde cuidar do visual?

Pra quem veio de mochilão de outro roteiro, pra quem passou um tempo no meio da floresta sem precisar se cuidar muito, ou pra quem quer só dar um tapa no visual mesmo antes de curtir a noite, eu indico o Salão de Beleza da Suellen. Ela é muito caprichosa e tem um carinho com a qualidade do trabalho.

Passeios em Alter do Chão

Ponta do Cururu: um dos pores do sol mais lindos de assistir. A ponta do Cururu fica em uma ilha pertinho de Alter do Chão. Você vai precisar contratar um barqueiro para te levar, mas vale a pena. Ali na ponta fica uma aglomeração de turistas, mas se você for pro cantinho vai ter mais tranquilidade. Todos os lados são bons pra assistir o sol partindo.

Alter do Chão - Ponta do Cururu

 

Morro da Piraoca: suba! Nem é tão difícil quanto parece. É só evitar os horários que o sol está a pino (sol forte).

Igarapé Jamaraquara: um paraíso de vitórias régias. Eu levei pé de pato e snorkel: foi lindo nadar por ali.

Alter do Chão - Igarapés Jamaraquara

 

A Internet

Só a Vivo funciona lá, então se você usa outra operadora esqueça o seu 4G! Em Alter do Chão a conexão de internet móvel não funciona em quase nenhum ponto. A lan house Net Games me salvou para subir os vídeos e fotos que fiz na viagem. Quando estiver por lá, conte com eles!

 

Beijos e qualquer coisa, conte comigo!

Gi Salvatti

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *