Viagem para o Alasca: Curiosidades

Monte Denali Alasca

REGULAMENTO DO SORTEIO (que está rolando lá no Instagram)

 

Com o dobro do tamanho do Texas, o Alasca é o maior estado americano. Porém, tem o menor número de habitantes por m². Isso porque o frio torna algumas regiões praticamente inabitáveis.

Aqui vão alguns fatos e curiosidades sobre essa maravilha gelada (ou nem tanto):

  • 7,2 milhões de dólares foi o preço que os EUA pagaram pelo Alasca. Era parte do território do Império Russo até 1867. Isso representaria, hoje, cerca de 100 milhões de dólares (quase 325 milhões de reais). Naquela época boa parte da população achou a compra uma loucura, mas depois acabaram encontrando ouro e outras riquezas que compensaram o investimento;
  • 2 mil dólares! É a quantia que os moradores ganham um “presente” do governo por morar lá. É isso mesmo, depois de 1 ano morando no Alasca os cidadãos têm direito de receber esta recompensa, que na verdade vem dos royalties pagos pela exploração do petróleo na região;
  • É o maior exportador de peixes dos Estados Unidos. Não existe agricultura por conta das baixíssimas temperaturas. E que peixes, hein? O mais famoso é o Salmão Selvagem do Alasca, que é bem diferente daquele que encontramos no Brasil.

Salmão do Alasca

 

  • Nem as moscas resistem ao inverno. A temperatura cai tanto que os mosquitos que estão na fase adulta morrem. Antes disso, eles colocam seus ovos, que só viram eclodem larvas com a chegada da primavera, quando o calor reaparece;
  • Nas partes mais ao norte do estado, não escurece no verão. A claridade dura as 24 horas do dia, durante quase três meses. O contrário se aplica no inverno: a noite polar também dura um longo período. Isso facilita a observação da aurora boreal, um fenômeno que só pode ser visto na escuridão. Estive por lá, em julho deste ano, e fiquei esperando para assistir até as 4 horas da manhã mas sol não baixava nunca.

Aurora Boreal Alasca

 

  • É muito difícil se locomover por lá. Quando comprei minha passagem, olhei o mapa e imaginei que pudesse ir a rodoviária pegar um ônibus e ir pra onde eu quisesse. Que engano! Há pouquíssimos ônibus (tive que andar de furgão), algumas cidades só podem ser acessadas por ar ou mar.
  • Os oceanos que se encontram mas não se misturam. O fenômeno acontece no Golfo do Alasca, que fica entre o mar báltico e o mar do norte. A mistura das águas não acontece devido ao descongelamento das geleiras que faz com que a densidade das águas sejam diferentes.

Mares Alasca

 

  • É um dos estados com maior número de parques nacionais do país. Além disso, tem 17 dos 20 maiores picos montanhosos dos Estados Unidos: o mais famoso deles é o Monte Denali (montanha de gelo no início do post), que tem pouco mais de 6 mil metros de altura.

Cale Green Alasca

 

  • Um dos maiores terremotos já reportados na história aconteceu em Anchorage, em 1964. O terremoto foi de magnitude 9,2 na escala Richter (só perde para o do Chile, em 1960, que atingiu 9.5). O local é um dos maiores sujeitos a terremoto em todo o mundo.
  • Não é só gelo. É isso mesmo! No verão as temperaturas são como as da nossa primavera.
  • Para quem detesta as segundas feiras. Existem duas ilhas na fronteira dos EUA (Alasca) com a Rússia. A maior ilha (Rússia) fica 24h à frente da menor ilha (EUA) em termos de fuso-hor
    ário. Dessa forma, é possível evitar um dos dias da semana: a segunda feira é forte candidata, já que muita gente não gosta.

A curiosidade que descobri na raça!

No meu primeiro dia no Alasca, em Juneau, fiz couchsurfing. Assim que cheguei, perguntei pro meu host qual era o melhor hiking (trilha na montanha) na cidade para que eu pudesse fazer no outro dia.

Quando estava prestes a sair, no outro dia pela manhã, ele entregou uma 

arma na minha mão: “Leve, você pode precisar”. Fiquei morrendo de medo e não aceitei. Eu já estava quase recolhendo as minhas coisas e indo pra um hotel, mas resolvi acalmar os ânimos. Pensei então: “Se ele ofereceu uma arma para que eu me proteja, não deve estar mal intencionado comigo”.

O pior ainda está por vir: quando fui fazer o hiking, o lugar estava praticamente deserto. Quase chegando no topo da montanha, avistei uma pessoa ao longe vindo no caminho contrário. Quando chegou perto, percebi que o cara usava uma arma no peitoral, em uma espécie de cinto. Pensei: “PRONTO, é o maníaco do parque. FERROU! E agora o que eu faço?”

Felizmente, eu estava enganada outra vez: ele passou por mim normalmente e seguiu viagem. Mais tarde, em um café ali perto, perguntei pra alguns locais que mania era aquela de todo mundo portar arma. Só aí é que fui ligar os fatos. O estado do Alasca tem animais que podem ameaçar a segurança das pessoas. Por esse motivo, portar uma arma é algo comum por lá. Caso um urso, um alce ou qualquer outro animal venha a atacar, existe uma maior chance de você conseguir espantar o animal se estiver armado.

Espero que tenham ficado com vontade de visitar o Alasca!

Vai rolar um sorteio de alguns lembranças que eu trouxe do Alasca lá no Instagram do blog: Clique aqui para ver o post e saber como você pode participar.

*Agradeço ao amigo Cale Green pelas fotos.

Beijos e qualquer coisa, contem comigo!

Gi Salvatti

Comments

  1. Sophia Kohlenberger
    novembro 24, 2017 / 5:59 am

    Muito legal Gi!! Amei saber mais sobre o Alaska!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *