Couchsurfing para mulheres: como se hospedar com segurança

Como se hospedar de forma segura com o couchsurfing?

Agora você já pode ficar mais tranquila. No final desse post, vai entender que existem muitos mitos sobre o couchsurfing para mulheres e que, com essas dicas, você poderá se hospedar com segurança na casa de moradores locais, e o melhor? De graça.

Quando conto sobre minhas experiências com o couchsurfing, muitas pessoas ficam com algumas dúvidas, principalmente pelo fato de eu ser mulher: “NOOOOSSA Giovanna, mas você não teve que prestar ‘favores’ aos caras que lhe cederam um lugar?” Gente, NÃO. Nunca!

É difícil uma mulher aceitar outra mulher na plataforma (pelo menos foi assim comigo). Só uma única vez fui aceita por um casal: a maioria das pessoas que aceitam esse tipo de hospedagem são homens.

Todos os hosts que me hospedaram foram respeitadores e me trataram com cordialidade. É claro que eu não vou sair de babydoll andando pela casa ou fazer alguma coisa que, de alguma forma, sinalize um tipo de abertura. Cada um impõe o respeito que quer receber.

Vamos às dicas:

1- Checar bem as referências

Elas não mentem e não há como alterar ou apagar as informações (veja um exemplo das minhas recomendações na imagem a seguir). Procure pessoas com um número significativo de referências e preste atenção se as referências não foram todas criadas a partir da mesma cidade da pessoa que vai lhe oferecer a hospedagem (para que se possa excluir a possibilidade de terem sido feitas por amigos ou então delas serem falsas);  

2- Jamais ofereça dinheiro

As pessoas que se propõem a participar hospedando alguém por couchsurfing não gostam, e podem se sentir ofendidas se você, como surfer (hóspede), oferecer dinheiro. Agradeça de uma outra forma. Seja criativo: pague um café, leve um vinho ou um presente que você ache que tem a ver com a pessoa que vai lhe oferecer hospedagem. A próxima dica dá uma ideia de como você pode retribuir um pouco dessa hospitalidade.

3- Leve um mimo da sua cidade

Além de agradecer, você ainda traz um pouco da sua história, algo tátil e significativo do lugar de onde você vem. Aí você pergunta: “Mas mesmo se eu estiver viajando de mochila?” Sim! Veja que pode ser algo pequeno, como um imã ou até um cartão postal. No cartão, por exemplo, você pode inclusive deixar um recadinho todo seu pra pessoa, algo que faça ela lembrar da experiência de ter te recebido na casa dela. Já tive oportunidade de ser host (anfitrião) e posso dizer que é sensacional receber uma lembrancinha.

4- Seja claro no seu perfil

É nele que você deve contar tudo sobre você, o que você gosta ou não. Escrever suas preferências sobre privacidade e até sobre a sua orientação sexual pode ser importante para uma boa experiência. Já encontrei o perfil de um moço dizendo que ele era adepto ao nudismo e que só deveria mandar solicitação quem aceitasse essa condição, digamos, peculiar (HAHAHAHA, cada um com suas piras, não é mesmo?);

5- Encontre-se com o seu host um lugar público

Quando for conhecer seu host, recomendo que faça isso em um local público. Esse primeiro encontro é importante até para que você veja se “o santo bate”, antes que você se instale de fato.

Uma vez cheguei na Letônia e não fui muito com a cara do host: agradeci pela hospitalidade, falei que eu tinha preferido reservar um hotel e que não queria atrapalhar o domingo dele. Ele aceitou e ainda me deixou uma boa referência; 💁

6- Sinta-se segura

O que está escrito é o que é! Se a pessoa só tem boas referências a realidade, muito provavelmente (mesmo), não vai fugir disso. Se você ainda está inseguro, não hesite: ligue e bata um papo. E como dito anteriormente, você terá a opção de desistir e escolher uma outra alternativa (se prepare pra isso), ou então buscar um outro host compatível na plataforma;

7- Mande um pedido personalizado

Eu sei que a vontade de copiar, colar e alterar poucos detalhes do pedido é grande, mas as chances de te aceitarem se você citar alguma coisa em comum que viu no perfil da pessoa são infinitamente maiores. Eu, por exemplo, só aceito pessoas que personalizam os seus pedidos.

Agora que você já sabe tudo sobre a plataforma, espero que esteja mais segura em relação ao couchsurfing e saia pelo mundo conhecendo, aprendendo e se divertindo pelo caminho. Além disso, os custos de hospedagem serão uma coisa a menos pra te impedir de fazer as malas (ou a mochila).

Para receber sempre as novidades do blog assine a nossa newsletter.

Um beijo e qualquer coisa, conte comigo!

Gi Salvatti.

Comments

  1. Jô Balotin
    novembro 21, 2017 / 8:46 pm

    Show em dicas e texto bem escrito!
    Parabéns!
    🌞☉

  2. isabel salvatti
    novembro 21, 2017 / 11:59 pm

    Adorei as recomendações.

  3. Taty Burali
    novembro 22, 2017 / 2:34 am

    Amei tudo Gi! Layout lindo, acesso fácil e texto exelente… tudo para que seja um gde sucesso! E será!!! E vamos pular de pára quedas para comemorar!!! 😂

    • novembro 29, 2017 / 11:18 am

      Que bom que gostou Taty! Muito obrigada! Será que um dia crio coragem? hahaha

  4. Lucas Fajardo
    novembro 23, 2017 / 10:36 am

    Adorei as dicas, mesmo não sendo mulher, rs
    O blog tá show, Gi!
    beijo e sucesso 🙂

    • novembro 29, 2017 / 11:19 am

      Lucas! Que bom que gostou. As dicas acabam sendo meio genéricas, né ?
      Obrigada! Beijos!!

  5. Sady
    janeiro 21, 2018 / 11:35 am

    Nana parabéns…sucesso 🏖🌄🌞

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *